Meu Plano B

Meu Plano B é ir além dos mesmismos, mas aprender a não me limitar ao momento que castra meus desejos e meus anseios. Mas o que seria o tal plano B pra você? seria uma válvula de escape para outras vidas ? ou quem sabe pular fora de um barco que ja vive à deriva, como vidas pela metade, casamento insatisfeito, emprego sufocante, aborrecido, tedioso, irritante? ou quem sabe mudar de cidade de país, de profissão ou planeta? Para alguns plano B significa esse momento na sua vida de virar a mesa, de dar o grito do ipiranga, de liberdade, mas de dentro pra fora, para bem depois numa estágio ea longo prazo se libertar de fora para dentro, literalmente soltando os bichos, as aves de rapina, o lobo ou animal furioso que depois de tantas vezes ferido dá o bote, vira bicho sabido, ou simplesmte alguém que fez das dores um remédio para outros rancores e hoje vive bem melhor, sem culpa, nem agulhas na memória.

Todos nós temos um plano, seja de vida , de final de semana ou para o ano todo. Esquecemos as boas intenções e promessas e vamos em busca do lado zen, do ying e yang, sumindo do mapa por mais que uma fração de segundo, saindo de férias, recarregando as baterias, dando qualidade de vida à vida que um dia sonhamos ter. Nenhum homem é uma ilha, mesmo sendo e parecendo clichê, frase feita, sabemos que viver em sociedade às vezes parece mais estressante que todas as selvas tropicais. Somos índio domesticado, meio triste, meu conformado, meio sem saber para onder ir. Nos planos que geram outros planos, adiamos decisões, viagens, estudos, casamentos, noivados, rupturas e separações.  Damos um tempo, uma década, uma vida quase completa pra desencucar traumas, para livrarmo-nos dos vícios, dos rótulos que nos colocamos e dos dedos que apontamos para nós mesmos e para os outros.

Plano B tambem é reciclar os amigos, deixar alguns deles irem embora como se nunca o tivéssemos e aconchegar novos e antigos que nunca nos feriram de verdade mesmo com certas palavras duras que tivemos que ouvir para o nosso próprio bem e sanidade emocional.

Com ou sem idades a mais ou a menos, temos idéias e ideais para viver. Planejamos muito, conquistamos pouco, peneiramos os sucessos e fracassos e o que passa na peneira é areia do tempo, e as pedras que sobram, usamos para pavimentar outros caminhos irregulares. Pisamos tantas vezes em falso e para cada queda, escrevemos sonetos, relatos, gemidos que embalam outras solidões e canções. Enfim sobrevivemos aos nossos desamores e pesares, sorrimos de novo, mas de um modo diferente, uns olhos distantes, noutros bem próximos dos sonhos de sempre. Do vivo das cores e das facetas e chamas que não se apagam em nós.

Um belo dia saimos literalmente de casa, sem destino, sem hora pra voltar se é que voltaremos, saimos sem olhar pra trás por que o caminho muda a cada passo, por que não somos nem mais santos nem ingênuos. O que se perde não se reencontra em nos, o que se deixa é para não ser mais lembrado. Erguida, a cabeça pende para um lado e para o outro, mas não esmorece.

No perguntamos que verão foi aquele, que outono introspecto, que inverno mais intenso, que florescer é esse quando ainda nem é primavera? Pois é, somos nós, eu e você, completos desconhecidos que nos esbarramos nas esquinas da vida, onde nossos passos aflitos nos fazem ainda mais distantes. Sou eu: virtual e vivo , e é você: vivo mas ainda virtual. Nossos planos se parecem: ser feliz sem complicar, ser alegre sem  razão pra carnaval, ser triste às vezes porque a vida é simples e nós é que somos complexos, complicados, insatisfeitos.

Outro dia abrindo uma gaveta qualquer da escrivaninha deparei-me com fotos antigas, quilos a menos, sorrisos a mais, parece agora que foi a tanto tempo, outro mundo paralelo em que era mais eu mesmo ou talvez alguém que ainda se apaixonava pela lua quando ela, grávida de lirismos esperava o sol nascer. Era um outro país, outras buscas e um outro jeito de olhar pra vida.

Hoje não há do que se arrepender. Meu coração bate forte, o peito arde de ansiedade, a vida borbulha sem champanhe e com os braços abertos encontro uma nova vida à minha espera como sempre, no instante em que fizer do meu plano B uma porta e uma chave para vida que sempre quis pra mim.

You may also like...

3 Responses

  1. Lee Mcaedo says:

    Bira,
    Coincidentemente dia 25/02 foi meu aniversário e que surpresa linda tive agora ao abrir o Blog e ler esse Post lindo e encorajador. Senti no momento em que o li, como se um filme de minha vida estivese passando(chorei bastante), por saber que mesmo virtualmente existe alguém que nunca fez parte de minha vida , mas, que sentiu as mesmas coisas que sinto agora.
    Protelei meus sonhos e mudanças por muito tempo, por família, amores, Pátria e tudo foi em vão!! Hoje não me permito mais isso…sabiamente como canta Diana Ross em uma de suas mais lindas canções: It’s My Turn!
    Abrindo mão de tudo e de todos resolvi no fim de 2010, mudar radicalmente: visual…trabalho…mudar de país, enfim, fazer as coisas que sempre sonhei e pela emoção abandonei-as.
    Mudarei para Londres em Outubro de 2012, cidade que escolhi por me considerar Cosmopolita e ter vivido 10 anos em Sampa.Então, o desconhecido e inexplorável não me amedronta, vencerei do mesmo modo que você e muitos de nós que abdicam da própria felicidade em detrimento de “alguém”, seja família ou não!
    Obrigada meu amigo virtual:
    1- Pelo presente de aniversário: O post
    2- Por me fazer crer que estou no caminho certo.
    3- Mais ainda por ter a certeza de que estou iniciando meu Plano B

    Continuarei leitora assídua do Blog…e atenta a todas as dicas, informações e textos lindos como este.
    Feliz 2011 pra você! …muito sucesso…paz…e felicidades Mil
    Abraços.
    Liange Macedo( Foz do Iguaçu – Pr)

  2. Lee Macedo says:

    Bira,
    Coincidentemente dia 25/02 foi meu aniversário e que surpresa linda tive agora ao abrir o Blog e ler esse Post lindo e encorajador. Senti no momento em que o li, como se um filme de minha vida estivese passando(chorei bastante), por saber que mesmo virtualmente existe alguém que nunca fez parte de minha vida , mas, que sentiu as mesmas coisas que sinto agora.
    Protelei meus sonhos e mudanças por muito tempo, por família, amores, Pátria e tudo foi em vão!! Hoje não me permito mais isso…sabiamente como canta Diana Ross em uma de suas mais lindas canções: It’s My Turn!
    Abrindo mão de tudo e de todos resolvi no fim de 2010, mudar radicalmente: visual…trabalho…mudar de país, enfim, fazer as coisas que sempre sonhei e pela emoção abandonei-as.
    Mudarei para Londres em Outubro de 2012, cidade que escolhi por me considerar Cosmopolita e ter vivido 10 anos em Sampa.Então, o desconhecido e inexplorável não me amedronta, vencerei do mesmo modo que você e muitos de nós que abdicam da própria felicidade em detrimento de “alguém”, seja família ou não!
    Obrigada meu amigo virtual:
    1- Pelo presente de aniversário: O post
    2- Por me fazer crer que estou no caminho certo.
    3- Mais ainda por ter a certeza de que estou iniciando meu Plano B

    Continuarei leitora assídua do Blog…e atenta a todas as dicas, informações e textos lindos como este.
    Feliz 2011 pra você! …muito sucesso…paz…e felicidades Mil
    Abraços.
    Liange Macedo( Foz do Iguaçu – Pr)

  3. Bira Malta says:

    Oi Liange,

    Muito agradecido pelo comentario. Fico feliz e tambem emocionado pelo seu carinho e por saber que a minha cronica te inspirou a fazer diferente, mudar sua vida pra melhor com projetos e atitudes positivas. Seja sempre bem vinda.