Comprando um imóvel no Reino Unido

Comprar um imóvel no Reino Unido, seja ele um apartamento, uma casa, um flat ou qualquer outro tipo de imóvel, é bem burocrático. De um modo geral, leva-se cerca de três meses para conseguir mudar-se para o imóvel novo, e no meio deste processo todo, deve-se envolver diversas pessoas/profissionais, tais como:

*advogados (solicitors)

*imobiliárias

* Mortgage advisor ( se o comprador estiver financiando o imóvel)

* O banco que irá emprestar o dinheiro para o comprador

* O vendedor

* O advogado do vendedor (seller’s solicitor)

Se a propriedade tiver outros tipos de problemas, o processo pode levar até mais tempo ainda. Os ingleses chamam de “chain” (cadeia) o processo que acontece quando a propriedade está à venda mas o vendedor ainda não conseguiu encontrar a sua nova casa, pois ele precisaria encontrar uma nova casa para conseguir sair da casa atual. Geralmente os imóveis que encontram-se com a famosa “chain” são mais acessíveis, pois nem todo mundo se interessa neles, justamente pelo tempo que leva-se (muito maior) para conseguir as chaves do imóvel.

Existem outros casos que podem levar a transação da venda das propriedades ainda mais lentas, como por exemplo, se o imóvel possuir algum tipo de problema estrutural ou algo do gênero. Quando as pessoas compram imóveis no Reino Unido, é feito toda uma pesquisa sobre aquele determinado imóvel, e esta pesquisa é feita pelo advogado do comprador, que atua conjuntamente com o advogado do vendedor. Nesta pesquisa, o advogado do comprador realiza diversas pesquisas sobre a propriedade e o que a cerca como por exemplo, o sistema de drenagem, os encanamentos, o registro do terreno junto ao órgão do governo responsável, e tudo isto é cobrado e pago pelo comprador. Além de tudo isto, se o comprador estiver financiando o imóvel, ele deve possuir no mínimo 10% do valor do financiamento do imóvel para dar de entrada no pagamento.

Além de tudo isto, deve-se pagar para um profissional especializado realizar a chamada “Survey” a fim de analisar tudo sobre aquela determinada propriedade, e se o valor que o vendedor estiver cobrando está realmente de acordo com o valor que aquela propriedade vale. Nesta “Survey”, se o profissional encontrar problemas estruturais ou quaisquer outros tipos de problemas, ele deixará escrito em sua planilha e passará a informação adiante. Obviamente se o banco que estiver financiando o imóvel achar que não vale a pena comprá-lo, ele simplesmente não aprovará o financiamento, alegando que o imóvel possui problemas e que isto deve ser corrigido para poder dar prosseguimento ao processo.

Se o imóvel passar pela vistoria (survey) e for aprovado, ainda deve-se levar em consideração que o processo não finaliza por aí. Por muitas vezes o contrato de compra e venda vai e volta de um advogado para o outro a fim de corrigir cláusulas, inserir ou deletar determinadas informações, etc. Se o advogado de uma das partes (do comprador ou do vendedor) for lento, o processo torna-se ainda mais vagaroso. Se os advogados de ambos os lados forem profissionais competentes e rápidos, mesmo assim o processo pode não ser tão rápido pois deve-se levar em conta que existem outras partes envolvidas, como o banco que financiará o imóvel para a pessoa que estiver comprando.

Alguns bancos atrasam para responder se vão aprovar ou não o financiamento do imóvel, causando assim ainda mais stress sobre a pessoa que está comprando. O banco geralmente checa o chamado “Credit Report” (espécie de um SPC-Serasa) para confirmar se a pessoa está com o “nome limpo na praça” antes de dar o crédito. O problema é que eles checam umas três ou quatro vezes antes de dar a proposta formal do financiamento, e cada vez que uma empresa checa o crédito de uma pessoa, esta consulta conta no cadastro e se estiver muitas empresas checando sempre os dados daquela pessoa, isto não é um bom sinal, pois quer dizer que a pessoa pede muito crédito na praça.

Se o banco atrasar para responder se vai realmente dar o financiamento para a pessoa ou não, obviamente o tempo de espera para comprar o imóvel fica maior ainda. Se o banco ficar consultando várias vezes o crédito daquela pessoal, ela corre o risco de ficar com o “credit score” baixo e, se por ventura este mesmo banco não aprovar o financiamento para esta pessoa, ela pode não ter a chance de conseguir outro financiamento (mortgage) com outro banco, pois o credit score dela estará baixo após tantas consultas feitas pelo banco.

O recomendável é que a pessoa contrate um mortgage advisor logo de cara. Para que é imigrante, os créditos são bem mais baixos do que para quem é britânico, e se por um acaso você escolher o banco errado para pedir financiamento e for reprovado, as chances de você conseguir financiamento com outra instituição são baixas. O mortgage advisor sabe quais são os bancos que são mais abertos/interessados para emprestar dinheiro para pessoas que estão há pouco tempo no país. Eles analisam a sua situação financeira e, de acordo com a situação que a pessoa se encontra eles escolhem o financiamento/instituição corretos, tendo quase certeza de que aquele determinado banco (A)  terá mais chances de aprovação para financiar aquele imóvel do que o outro banco (B).

Um outro fator que pode determinar na demora para se adquirir as chaves da casa própria é o fator da documentação do imóvel. Se o imóvel se encontra com problemas de herdeiros, por exemplo, isto é mais um fator que pode demorar no processo.

Enfim, existem uma série de fatores que podem atrasar a compra/financiamento da casa própria no Reino Unido, e, por incrível que pareça, o sistema de compra e venda de imóveis é muito mais burocrático do que no Brasil. Mas toda esta burocracia é para o bem do comprador, a fim de que ele não compre “gato por lebre”. Comprar um imóvel no Reino Unido é bem estressante mas tem as suas recompensas.

You may also like...