Como escolher o albergue perfeito na Europa

É fácil entrar no site do HostelBookers, informar o seu destino (London, por exemplo), reservar o mais barato albergue que aparece, e cruzar os dedos para encontrar um lugar fantástico que irá lhe proporcionar uma das melhores viagens de sua vida. Como podem imaginar no entanto, isso pode levar a uma estadia que é menos do que o esperado ou simplesmente horrível. Reservas no lugar certo, podem determinar como você irá se sentir sobre toda a cidade que você está visitando (as vezes até sobre o país). A experiência ensina que um “crappy hostel” (albergue porcaria) pode produzir histórias de insatisfação sobre países inteiros e, resta-nos tentar ao máximo, com alguns cuidados essenciais, evitar esse tipo de situação.

Como muita gente não tem grana suficiente para pagar o mais barato dos hotéis (que não são tão baratos seja no Reino Unido ou em qualquer outro país da Europa), o foco passa a ser os albergues. Mas as vezes, se você está viajando com mais uma ou mais pessoas, o preço de um albergue pode ser o mesmo preço de um quarto de hotel (divido por pessoa), que talvez lhe ofereça mais conforto, espaço e privacidade (pelo menos você dividirá o quarto apenas com seus colegas de viagem).

Viajando sozinho você vai encontrar quase sempre um uma cama de solteiro em uma acomodação de albergue mais barato do que qualquer hotel. Mas para começar, é muito importante para entender o que realmente é um albergue.

Albergues, pousadas, alojamento, etc.

albergue1Há muitas idéias pré-concebidas sobre o que é realmente uma acomodação do tipo albergue, ou pousada, ou alojamento. A melhor definição para essas acomodações é: não há uma definição correta.

Na Europa (como em outros lugares do mundo) uma pousada ou albergue pode ser qualquer coisa, desde uma velha fábrica abandonada, transformada em um moderno espaço com decoração contemporânea, ou até um pequeno barco com poucas camas dentro, flutuando em um canal. Pode ser um apartamento antigo quarto com móveis “caindo aos pedaços” com seis camas empilhadas nos cantos ou um castelo medieval em perfeito estado de conservação que já abrigou alguma realeza nos últimos 800 anos…

As acomodações para dormir podem variar de um quarto privado com 2-6 camas de beliche para até 15-30 pessoas em uma sala. É seguro dizer que a maioria das pousadas têm hoje uma grande variedade de arranjos de dormitórios para escolher, sendo que cabe a você decidir quais são suas prioridades de estadia.

O que define uma acomodação em um albergue, provavelmente mais do que qualquer coisa é a atmosfera do lugar. Os viajantes tendem a conviver mais e geralmente a cozinha pode ser utilizada pelos hóspedes, o que facilita na hora de ter uma refeição mais barata.

Contudo, você não vai encontrar um sistema de avaliação, como a classificação de hotéis por estrelas (além de avaliações de usuários encontradas na internet), o que significa que fazer sua pesquisa é essencial para não ter surpresas desagradáveis. A menos é claro que você ama a emoção de caminhar para o desconhecido e encarar qualquer coisa que vier pela frente.

Conheça você mesmo. Com base nisso, escolha o seu albergue.

Que tipo de pessoa que você é e que tipo de viajante você é, não é necessariamente sempre a mesma coisa. Em casa, você pode acreditar que seja limpo e arrumado, não muito sociável e sempre pontual, mas a verdade da questão é quando você está na estrada em um país estrangeiro, as coisas podem mudar, e muito. Na verdade, sua viagem pode mudar algumas formas de você enxergar a vida e que prioridade você dá para alguns detalhes da sua vida. Tente se antecipar sobre como você vai se sentir quando chegar ao seu destino.

Albergues têm personalidades e você também tem a sua. Tente combinar o seu estilo com o seu albergue e você pode encontrar algum “lugar legal” para visitar novamente. Pergunte a si mesmo, “eu quero tentar ser mais social?”, “Eu sou alguém que bebe ou fuma?” , “Eu sou alguém que pode lidar com o ronco dos outros? ou com o barulho de pessoas entrando e saindo do meu quarto a qualquer hora? ou seria um toque de recolher as 21:00 mais desejável?”. “Eu sou alguém que carrega um laptop quando viajo e precisa de segurança extra no meu quarto? ou eu só tenho meias sujas que só vão feder em um armário?”, “Eu sou o tipo de pessoa que necessita de um restaurante pequeno-almoço cozinhado e um café para começar o dia? ou ficaria feliz com um pão com Nutella, um suco tang e uma banana de refeição contantoq que esteja incluso no preço do albergue?”. E assim por diante…

Muitos albergues tem mais a oferecer (de graça) do que hotéis

Uma vez que você descobriu que tipo de estadia você estará olhando, resta saber que tipo de facilidades você espera encontrar e que facilidades podem te atrair para um específico albergue.

Muitos albergues têm áreas comuns onde todos em torno de uma TV, tentam decifrar os Simpsons em francês ou torcer para algum time que nunca viram antes em um jogo de futebol. Você pode se surpreender com o número de instalações que estão começando a oferecer TVs gigantes (com projetores) e recepção a cabo ou satélite, como parte do entretenimento incluído no preço de uma cama. E com a diminuição no tamanho dos computadores portáteis e do aumento dos viajantes carregando laptops, conexões Wi-Fi estão se tornando padrão em muitos locais. Se isso não está disponível há na maioria dos casos, alguma forma de acesso à internet como um cyber café próximo ou algum computador público na biblioteca do bairro.

Alguns albergues oferecem pequenos almoços. Albergues ingleses com certeza ofereceram toda a estrutura para o chá com leite ser servido a qualquer hora.

Esteja ciente de que alguns albergues podem impor um toque de recolher ou período de lock-out (onde ninguém pode ficar nos quartos para ser feita a limpeza dos mesmos.). Como seria chato estar desfrutando da noite em uma cidade, e descobrir que você não é capaz de entrar no albergue até o sol nascer novamente? Não é uma grande coisa. Basta prestar atenção à descrição da pousada no momento da reserva, ela vai dizer se há um toque de recolher ou não. O período de lock-out é também uma característica que é provável que você só tem que lidar com de vez em quando. Geralmente ocorre entre 11 – 15 h, quando a pousada vai pedir para você sair do seu quarto (ou talvez do prédio inteiro), enquanto eles limpam, fazem alterações ou preparam-se para recém-chegados.

Saiba para onde você está indo

É de extrema importância na escolha de um lugar para dormir, que se considere o que você vai fazer quando está acordado. Saber que locais você irá visitar em qualquer cidade é simples, mas saber onde estão em relação ao seu albergue requer um pouco mais de investigação. Perca alguns minutos no Google Earth ou Maps verificando a distância do seu albergue para os principais lugares que você deseja visitar. Encontrar um albergue nas proximidades de onde você quer, certamente pode minimizar o seu tempo de caminhada e os custos dos bilhetes de metro.

Tão importante como saber as distancias entre o albergue e os pontos turísticos está a distancia entre o albergue e a estação de trem ou aeroporto. Há poucas coisas piores na vida do que chegar cansado em uma cidade, talvez em um país que você pouco fala a língua, as 10 da noite e descobrir que para chegar no albergue ainda faltam duas viagens de ônibus e uma caminhada de 12 quadras da estação até o albergue carregando uma bela e pesada mochila.

Nunca, jamais, se esqueça de anotar as indicações para o albergue da estação de trem ou aeroporto, ou você poderá chegar e falbergue2icar algumas horas tentando encontrar um cyber café apenas para procurar indicações que estavam bem na sua frente quando reservou o lugar.

Tente entender a escala dos mapas para calcular as distancias (dois pontos próximos em um mapa podem ser muito mais longe do que você imagina) e converse com outros viajantes sobre quais áreas você deve evitar. Não é necessário planejar cada dia e a rota que irá tomar enquanto está na cidade, mas sabendo que você não terá que viajar para longe toda vez que você esqueça que precisa da sua câmera ou o um casaco adicional é um conforto. Além disso, assim como saber o que você quer em um albergue, sabendo o que você quer na sua área ao redor é útil.

Viajantes mais jovens tendem a ser encontrados em uma área, os viajantes com dinheiro para queimar em outras e os públicos específicos como gays e lésbicas também tem seus próprios bairros populares. Se a arte é do seu interesse, a proximidade aos museus populares pode ser algo essencial na pesquisa por albergues e etc.

Quanto realmente vai custar?

Estar perto das principais atracções turísticas e bairros chiques é agradável e muitas vezes prático, no entanto tem um preço. Com um orçamento apertado, às vezes vale a pena ficar um pouco mais longe do centro da cidade. Uma vista para o Arco do Triunfo, ou para o Hyde Park ou quem sabe o Castelo de Edimburgo do outro lado da rua ou ter o Fórum Romano como seu quintal da frente, obviamente custam mais por noite do que um albergue que fica no fim da linha do trem. Muitas vezes olhamos somente para o valor da hospedagem e não nos atentamos a quanto que iremos gastar por dia para visitarmos os pontos turísticos que queremos ver.

Procure por informações na internet sobre os meios de locomoção próximos à sua acomodação. Muitas vezes os próprios albergues, campings, pousadas, hotéis, etc informam quais os melhores meios de locomoção. Alguns até oferecem translados gratuitos para seus hóspedes em determinados horários do dia.

Para a estadia, geralmente você pode esperar pagar em qualquer lugar na Europa a partir de 10 a 35 Libras ou Euros por noite por cama. Uma regra de ouro, porém, é que se você está pagando mais de 25 euros você pode provavelmente estará em algum lugar de boa qualidade. Para ter uma idéia melhor, faça uma pesquisa no site do HostelBookers.

Procure por comentários e reviews

Ao usar sites como o HostelBookers perca algum tempo para ler comentários de antigos hóspedes. Esses comentários são escritos por pessoas que já estiveram lá e pode dar-lhe uma direção do que esperar. Tenha em mente, contudo, que uma fantástica análise sobre um lugar nem sempre se traduz em um fantástico lugar e vice-versa. Cada um tem seus gostos e seus conceitos. Limpeza e higiene geralmente têm significados diferentes para cada pessoa. Tente ler o máximo de reviews possíveis e considerar a opnião da maioria.

Vale muito também perguntar dicas para colegas que já conhecem o lugar que você pretende visitar. Mas não se esqueça, uma grande hospedaria em um ano pode não ser sempre a mesma 12 meses depois. Ao mesmo tempo que mantendo os seus ouvidos abertos, você pode apenas encontrar uma jóia ainda não listadas na web.

You may also like...

1 Response

  1. Rose Taylor says:

    Ola, Roberto!
    Parabens pelo seu artigo sobre albergues! Acabei de ler.
    Achei que seria legal registrar aqui minha experiencia em 1997 quando visitei pela primeira vez Londres.
    Minha sorte eh que eu tinha uma amiga morando em Londres e ela me deu todas as dicas. Assim eh sempre mais facil, neh? rsrsrs
    Eu fiquei hospedada num YWCA Hostel (Young Women’s Christian Association), ou sejam a versao feminina do YMCA. Eu simplesmente ADOREI=) O hostel ficava ao lado do Regents Park (outra vantagem por ser bairro nobre na Zone 1/2 de Londres) pertinho de Camden Town e eu curti muito. Super confortavel, proximo de tudo, e tinha a opcao de single room, os quais eram bem pequenos e tinham sempre waiting lists, mas eu consegui um no final da minha estada. Nao achei o custo alto. Nao me lembro os valores pra informar.
    O nome do hostel era Goldsmiths House e ficava na Park Village East NW1 3SU
    Acredito que ainda esteja lah…

    Na frente do British Museum tambem tem outro que era onde minha amiga morava: Helen Grahan House, esse era YMCA e YWCA juntos. Uma estrutura bem maior e tambem mais caro.
    Enfim, nem todos sabem dessas alternativas por aqui, e vale destacar que para ficar num YWCA sua idade limite eh de 25 ou 27 anos se nao me engano.

    Abracos=)
    Rose